Equipe do Parque e da APA Morro da Pedreira, juntamente com o município de Santana do Riacho, atuam incessantemente no combate às chamas, que tiveram início na última sexta-feira (10

No início da noite da última sexta-feira, dia 10 de outubro, um incêndio teve início nos arredores da rodovia MG-010, próximo ao entroncamento do Morro do Pilar, e se alastrou por toda a região, consumindo diversos pontos do Parque Nacional da Serra do Cipó, passando pelo Alto Palácio, Rio Preto, Travessão e pelo Vale do Bocaina, região próxima da Vila da Serra do Cipó. A estimativa oficial da área queimada, elaborada pela Divisão de Monitoramento e Informações Ambientais, da Coordenação de Proteção do Instituto Chico Mendes (CGPRO-ICMBio), é de 2490,13 hectares até o dia 14 de outubro. Isso representa 7,87% da área do Parque queimada.

 

Trabalhando no combate ao fogo desde o início do incêndio, o Parque Nacional da Serra do Cipó e a Área de Preservação Ambiental (APA) Morro da Pedreira operam hoje, dia 17 de outubro, em uma frente de ação para conter as chamas. Contamos com uma equipe de 47 brigadistas do ICMBio, sendo 35 do Parque Nacional da Serra do Cipó e 12 do Parque Nacional da Serra da Canastra; 14 brigadistas do IBAMA, integrantes da Brigada Municipal de Jaboticatubas, além de cerca de 20 voluntários, que atuam diretamente nas frentes de fogo e em atividades de apoio logístico, como distribuição de alimentos, água, equipamentos de proteção individual (EPI´s) e funções administrativas. O apoio dos bombeiros civis de Belo Horizonte ocorreu nos dias 15 e 16/10. Ontem, dia 16/10, recebemos também o reforço do Rodofogo do IBAMA, com 20 combatentes.

As operações contam ainda com dois aviões Air Tractor, que lançam água sobre o fogo, e um helicóptero, destinado ao transporte dos brigadistas e equipe de apoio às áreas afetadas, devido às dificuldades de acesso por se tratar de região de relevo acidentado. A Coordenação Regional do ICMBio em Lagoa Santa, representada por Estevão Marchesini, auxilia na batalha contra o incêndio florestal. A Prefeitura Municipal de Santana do Riacho também apóia na logística de combate.

 

O combate foi bastante prejudicado no dia 15/10 em função da cortina de fumaça que pairava sobre a região da Serra do Cipó, inviabilizando as operações com aeronaves. Ainda assim, o foco do Vale do Bocaina foi combatido e outros que ameaçavam áreas habitadas na vila de Serra do Cipó. Um esquadrão noturno foi a pé à região do Travessão para efetuar combate, visto que a aeronave não pôde realizar os deslocamentos na região devido à invisibilidade.

 

Na madrugada do dia 16/10 o clima ficou mais ameno, com chuva fraca pela manhã no alto da serra, nas regiões de Alto Palácio e Travessão, possibilitando combate mais efetivo. Ainda no dia 16/10 o foco de incêndio que se localizava na região do Travessão foi combatido, restando o trabalho de rescaldo para hoje, já efetuado pela equipe em campo. Ainda contamos com uma equipe de três brigadistas no Travessão, efetuando o monitoramento da área.

 

Desta forma, apenas o foco existente na região denominada Alto Palácio ainda permanece, que é onde todo o esforço de combate está concentrado. Desta forma, a equipe de 47 brigadistas do ICMBio, cerca de 27 brigadistas do IBAMA e voluntários estão se revezando no combate na região, a fim de debelar este último foco.

 

Evolução do número de focos de calor durante o incêndio no Parque Nacional da Serra do Cipó, segundo sistema de monitoramento disponibilizado online pelo INPE:

Imagem

 

 

 

(http://www.dpi.inpe.br/proarco/bdqueimadas/bduc.php?LANGUAGE=PT)

Para preservar o público, o Parque permanece fechado à visitação até que o fogo seja controlado e todo o trabalho de rescaldo e desmobilização seja concluído.

PORTA-VOZ: Paula Leão Ferreira | paula.ferreira@icmbio.gov.br | (31) 3718 -7475 / 7151